Cuidados na produção do picolé de leite materno


119-como_armazenar_e_oferecer_o_leite_materno_esgotado.jpg

Utilizado como opção para introdução de sólidos na alimentação e alívio para as dores durante a erupção dos dentes, o picolé de leite materno não é uma alternativa para a alimentação do bebê e deve ser feito de forma cautelosa, segundo a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

O picolé pode ser usado quando os dentes do bebê começam a surgir, no entanto, a recomendação de oferecer o leite na temperatura do corpo (em torno de 37°C) permanece, sendo que o picolé deve ser apenas uma opção ocasional e ofertada em pequenas quantidades.

Segundo o diretor da SBMFC Rodrigo Lima, “o congelamento do leite materno pode levar à perda de alguns nutrientes, mas ela costuma ser tão pequena que não diminui a qualidade nutricional”. Apesar de refrescante e nutritivo, o picolé pode ser perigoso para a saúde do bebê se não for preparado de forma correta, sendo necessários muitos cuidados em sua produção, tais como:

•Higienização

Antes da ordenha, é recomendado passar uma gaze embebida em água morna ou fria nas mamas e lavar bem as mãos com água e sabão. Além disso, é necessário lavar bem as bombas de extração e o recipiente onde o leite será armazenado.

•Armazenamento

Ao iniciar a ordenha, descarte os primeiros jatos. Assim que o leite da primeira mama esgotar, coloque-o no recipiente higienizado e o acomode no fundo do refrigerador, que deve ter a temperatura entre 0ºC e 4ºC. Após, faça o mesmo com a outra mama.

•Consumo

É importante que um adulto ofereça o picolé, para evitar que a criança engasgue, e que ele seja feito do tamanho adequado, de modo que caiba na boca do bebê, mas não possa ser engolido inteiro.

Fonte: Assessoria de imprensa da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

#notícias #picolédeleitematerno #amamentação #alimentação