Verão: como proteger as crianças do sol

Apesar de ter a estrutura da pele igual à dos adultos, a das crianças é bem mais fina e, consequentemente, muito mais sensível. Por isso, o cuidado com os pequenos no verão deve ser prioridade dos pais nestes dias mais longos, ensolarados e que convidam a uma maior exposição ao sol. Sem falar que, quanto mais cedo os cuidados com a pele começarem, melhor.

 

De acordo com Luis Julian, coordenador de serviços técnicos de Care Chemicals da BASF para América do Sul, muitas dúvidas pairam na cabeça dos pais quando o assunto é a fotoproteção dos filhos. Qual produto é mais indicado? De quanto em quanto tempo ele deve ser reaplicado? Essas são apenas algumas das questões e a preocupação não é em vão, já que os raios ultravioleta e o calor encontram menor resistência na pele das crianças, podendo provocar brotoejas e queimaduras solares intensas.

 

Para aproveitar melhor a estação mais quente do ano, sem deixar marcas que podem ficar para a vida inteira, Luis Julian respondeu às principais dúvidas dos pais. Confira:

 

1. A partir de que idade é recomendado o uso de protetor solar?

Não se recomenda o uso de protetores solares em crianças com menos de seis meses de idade, a menos que indicado por um pediatra ou dermatologista. Crianças nesta idade somente devem ser expostas ao sol de acordo com as recomendações do pediatra. Entre seis meses e dois anos de idade a criança já pode usar protetor solar, mas ainda é importante conversar com o pediatra sobre os cuidados que devem ser tomados tanto na escolha do protetor como quanto seu uso correto.  

 

2. Qual tipo de produto é mais recomendado para crianças? Spray, creme, gel...

As diferentes formas de aplicação (spray, creme ou gel) devem garantir a mesma proteção à pele – de acordo com a indicação do rótulo do produto. Para as crianças, os sprays têm sido bastante procurados por serem mais práticos de passar. Muitas marcas desenvolvem produtos “divertidos” com cores e cheiros diferentes, o que pode ser mais atrativo. Mas independentemente da embalagem do protetor, o mais recomendado para os pequenos é o uso de protetores com resistência à água e com FPS’s altos. A pele infantil é bem sensível e deve ser muito cuidada, com protetores acima de 30. Sempre que usar protetor solar em Spray, é melhor fazer a aplicação em um local sem vento, e depois de aplicar deve-se espalhar com as mãos para que se tenha um filme homogêneo sobre a pele.

 

3. E a necessidade de reaplicar? É a mesma?

Independentemente do tipo de produto, se spray, creme, gel, ou outro, tanto para os adultos como para as crianças, o protetor deve ser reaplicado a cada duas horas, ou antes, caso tenha ocorrido remoção do protetor solar por uso de toalha, recostar em cadeiras ou se houve sudorese intensa ou chance do protetor ter sido removido pela água. Com as crianças, devido a sua maior atividade brincando na areia e água, devemos ter ainda mais atenção para verificar se o protetor está saindo, e em caso de dúvida, é melhor reaplicar.

 

4. Existem bloqueadores solares?

Não. O termo “bloqueador” foi proibido pela legislação que entrou em vigor em junho deste ano para os países do Mercosul. Não se pode chamar nenhum produto de bloqueador, pois é impossível bloquear 100% da radiação solar.

 

5. Preciso utilizar protetor solar após as 16h?

Sim. Apesar da incidência dos raios UVB serem mais fortes durante o período mais quente do dia (entre 10h e 16h), os raios UVA – que causam o câncer de pele - são quase constantes durante o dia todo. Por isso, é importante usar o protetor em qualquer horário em que se esteja exposto ao sol.

 

6. O que é o FPS?

O Fator de Proteção Solar de um produto indica quantas vezes mais de tempo uma pessoa pode se expor ao sol até que tenha uma queimadura como se não estivesse usando o protetor. Por exemplo, uma pessoa de pele clara sem protetor solar pode sofrer uma queimadura após 10 minutos de exposição ao sol; se ela usar adequadamente um protetor solar de FPS 30, ela somente terá a queimadura após 300 minutos (10 minutos X FPS = 300 minutos = 5 horas). Porém, somente se tem a proteção indicada pelo FPS quando o produto é aplicado de maneira generosa na pele. Se aplicarmos uma camada muito fina, a proteção será menor. É importante lembrar também que mesmo antes de se verificar a queimadura evidente na pele, a pele já sofreu danos. O protetor solar apenas reduz a taxa de dano.

 

7. Qual a importância da proteção UVA?

A queimadura da pele está mais relacionada à radiação tipo UVB. A radiação UVA penetra mais profundamente na pele e gera radicais livres que causam em longo prazo o envelhecimento precoce porque destrói as fibras de colágeno e elastina que dão sustentação à pele. Tanto o UVB quanto o UVA podem causar câncer de pele.

 

 

Fonte: Assessoria de imprensa da Care Chemicals da BASF para América do Sul

Please reload

Please reload

+ NOTÍCIAS

Criança que passa pouco tempo ao ar livre tem mais chance de desenvolver miopia

1/10
Please reload

Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed

Fale conosco

Whats: 15 99129-4846 | 11 3368-7702

Email: redacao@namochila.com

A revista das escolas particulares de Sorocaba e região
A revista das escolas particulares de Sorocaba e região

Certificado

SELO SOCIAL 2014 / 2015