Crescimento do útero pode causar dores do início da gestação


dor-nas-costas-gestante-grávida-dor-650x350.jpg

Incômodo geralmente é descrito como cólicas abdominais e é necessário observar o quadro

No início da gestação, o crescimento do útero e consequente distensão dos seus ligamentos podem causar dores pélvicas. São usualmente descritas como cólicas abdominais de intensidade variável. Por outro lado, nas últimas semanas da gestação, as dores pélvicas intermitentes e rítmicas, associadas a dor lombar baixa, podem ser sinal de trabalho de parto. É importante lembrar que se a gestante apresentar dores de forte intensidade ou acompanhadas de sangramento vaginal, deverá procurar o seu médico.

O corpo também passa por modificações do sistema músculo-esquelético. Ao longo de toda a gestação, as articulações acumulam líquido e tornam-se mais frouxas, principalmente quadril, púbis e coluna lombar, o que pode provocar desconforto. Essas modificações vão promover o aumento dos diâmetros da bacia, para favorecer o parto vaginal. Além disso, na segunda metade da gestação, o peso do útero modifica o eixo gravitacional da gestante. Ela passa a curvar mais a coluna, desenvolvendo a hiperlordose e a hipercifose, e a alargar a base de sustentação, afastando os pés. Tudo isso leva à utilização de grupos musculares que não são rotineiramente solicitados, e pode provocar a fadiga.

Entretanto medidas simples podem aliviar estas dores tão comuns. Alongamento e atividade física regular ajudam a estabilizar e fortalecer os grupos musculares mais solicitados. Uma boa atividade indicada para as gestantes é a hidroginástica, uma vez que fortalece a musculatura com um mínimo de impacto. Além disso, aulas específicas para gestantes ensinam exercícios de respiração e força, que podem ajudar no momento do parto.

Analgésicos simples também podem aliviar as dores da gestação. Entretanto inúmeros medicamentos são contraindicados, por provocarem defeitos cardíacos e alterações do líquido amniótico, entre outras complicações. Antes de tomar qualquer remédio, a gestante deverá confirmar com o seu médico se é seguro para o período da gestação em que se encontra.

Fonte: Assessoria de imprensa do Dr. Alfonso Massaguer.

#notícias #gestação #dorgestacional

+ NOTÍCIAS