Como cuidar das dores de garganta em crianças


dor-de-garganta.jpg

Faringite, amigdalite e laringite? Procure um especialista para identificar as origens dos sintomas antes de iniciar qualquer tratamento

Uma preocupação frequente dos pais são as dores de garganta que afligem frequentemente seus filhos. Isto porque, as famosas “ites”, ou seja, a faringite, a amigdalite e a laringite, podem trazer consigo sintomas como febre, dificuldade ao engolir alimentos, dor de cabeça e ouvido, mau hálito e alterações da voz. Esses transtornos à saúde, geralmente são causados por vírus ou bactérias e cada caso deve ter uma abordagem específica.

Segundo o Dr. Carlos Eduardo Travassos, embora todos esses males sejam chamados de dor de garganta - exceto a laringite -, existem diferenças entre si, já que atingem órgãos diferentes que podem estar sendo afetados e desencadeando os sintomas. No caso da amigdalite, o foco são as amígdalas, ou seja, as duas “bolas” vermelhas que ficam ao fundo do céu da boca. Elas geralmente ficam inchadas e provocam sensação de coceira nas crianças. Há casos também em que os pacientes podem ficar com mau hálito. Já a faringite ataca a faringe, um órgão tubular, que conecta a boca e o nariz à laringe e ao esôfago. Surge normalmente junto com a amigdalite, como prolongamento da doença ou associada a alergias. E no caso da laringite, o que acontece é a inflamação da laringe, região anterior à traquéia, onde se encontram as cordas vocais.

Ao contrário do que muitos pensam, nem sempre o antibiótico é o melhor tratamento, já que 85% dos casos de dores de garganta em crianças são ocasionados por vírus e não por bactérias. Mas como diferenciar quando a dor de garganta é viral ou bacteriana?

A causa bacteriana é mais comum em crianças maiores de três anos e tem como principais sintomas febre alta, dores fortíssimas na garganta, falta de apetite, moleza no corpo e pus na garganta. Já na de origem viral, a criança não fica tão indisposta e a dor pode ser mais branda. Além disso, por estar associada a gripes e resfriados, inclui sintomas como tosse, coriza e olhos lacrimejantes. “Vale destacar que a dor de garganta bacteriana costuma deixar a criança derrubada abruptamente. E a viral costuma se manifestar mais lentamente. Mas, independente de qualquer coisa, os sinais e sintomas não servem para diferenciar os casos virais e bacterianos. É imprescindível consultar um médico, pois somente ele poderá detectar corretamente a origem da dor”, esclarece o médico.

Quer saber então como cuidar dos filhos nesses casos? Confira abaixo algumas dicas:

  • Faça a criança beber bastante líquido. A água pode ajudar a diminuir as secreções na garganta e fluidos quentes contribuem para o alívio da irritação. Hidratar o corpo ajudará a combater infecções e a aliviar dores rapidamente;

  • Para redução dos processos inflamatórios e da dor, crianças maiores de seis anos podem utilizar medicamentos com o princípio ativo cloridrato de benzidamina. O antibiótico só deve ser utilizado em um quadro bacteriano;

  • Use umidificadores ou tratamentos a vapor para obter alívio. A fumaça dos umidificadores pode ajudar a aliviar as dores de garganta. Só tome cuidado para não deixar o ambiente desconfortavelmente úmido ou frio;

  • Estimule a criança a tomar banhos todas as manhãs e noites, em uma temperatura que produza vapor. O banho ajudará a limpar o corpo, oferecendo uma sensação refrescante;

  • Faça a criança manter a rotina de sono à noite. Enquanto os sintomas persistirem recomenda-se um repouso de onze a treze horas de sono;

  • Oriente o seu filho lavar as mãos frequentemente. Como nossas mãos são vetores para bactérias, ao tocarmos no rosto e outros objetos, aumentamos a probabilidade de transmissão de bactérias e vírus.

Fonte: Dezoito Com/Flogoral/Aché Laboratórios

#notícias #dordegarganta #saúde

+ NOTÍCIAS
Posts Are Coming Soon
Stay tuned...
Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed