Cuidados específicos para os cabelos durante e após a gravidez

cabelo-gravidez.jpg

Terapeuta capilar explica os fatores que modificam o organismo da mulher e que, combinados com agressões por cosméticos, facilitam queda de cabelo e doenças no couro cabeludo

O período da gravidez é marcado por modificações em todo o organismo e muitas vezes a queda de cabelo não acontece apenas por alteração hormonal, mas pelas mudanças estarem combinadas com fatores externos no couro cabeludo que precederam o período gestacional como tinturas, químicas, uso de cosméticos agressivos, entre outros. A terapeuta capilar, Sônia Mesquita, indica a combinação “gravidez + fatores externos” envolve uma sobrecarga no corpo da mulher, o que prejudica a saúde, principalmente a capilar.

“Fatores de agressão ao couro cabeludo como cosmética, estresse, poluição, entre outros, associados com o estresse do período pós-parto, podem proporcionar desnutrição proteico-vitaminosa (que pode ocorrer nas gestantes), estresse emocional (principalmente em mães de primeira viagem), e desregulação hormonal do pós-parto, gerando um fator de queda de cabelos semelhante à calvície masculina. A falta de hormônios sexuais femininos e presença de hormônios de produção de leite materno que interrompem o ciclo menstrual normal podem ser parte desse processo”, explica a técnica em tricologia, que atua em dois espaços de tratamento que levam seu nome em São Paulo e Fortaleza.

Para evitar esse processo de queda de cabelo e manter ou recuperar os fios, Sônia dá nove dicas para a mulher grávida ou parturiente:

1 - Ter cuidado com o couro cabeludo não deve ser diferente, desde que já esteja sendo bem feito. Os níveis de oleosidade no couro cabeludo durante a gravidez aumentam, tanto pelo ganho de peso quanto pelas modificações hormonais. É necessário um controle diferenciado da oleosidade, respeitando o limite da resistência do fio, sem deixar os fios ressecarem.

2 - Cuidado com os produtos de escovas progressivas e demais processos quimícos, principalmente os que contêm formol. Não utilizar tinturas de cabelo na gravidez, nem descolorantes. Evitar química pesada.

3 – Se ocorrer muita queda tanto antes como depois do parto, Sônia Mesquita recomenda o tratamento capilar para que a mãe evite qualquer dano.

4 - Seguir à risca as recomendações do pré-natal, como o uso de ácido fólico.

5 - Lavar o cabelo todos os dias, pois na gravidez, quem já tem pré-disposição fica com o cabelo mais oleoso que o normal, e o acúmulo da oleosidade no couro cabeludo propicia acúmulo de fungos e bactérias, que pode resultar até em calvície.

6 - Manter uma alimentação saudável. A alimentação mais saudável para o couro cabeludo deve conter carotenoides (presentes em vegetais amarelados e alaranjados, como cenoura), bioflavonoides (tomate), vegetais verdes, carne magra e fígado (por aumentar as reservas de ferro e complexo B). Além disso, evitar refrigerantes e o ganho de peso exagerado.

7 - Dê preferência a produtos fitoterápicos e orgânicos. Por não ter química, o couro cabeludo e, consequentemente, os fios que são o reflexo da saúde deste, absorvem melhor os componentes, eliminando os fungos que atacam as fibras capilares.

8 – Lavar o cabelo diariamente com movimentos circulatórios e nunca lavar com as pontas dos dedos, lavando toda a cabeça em todos os sentidos e utilizar as unhas, mas com cuidado para não se machucar. Assim haverá um aumento da circulação e oxigenação do couro cabeludo e uma remoção mais efetiva das placas de gordura. Pelo menos uma vez por dia, dar várias escovadas ao dia, em vários sentidos para ativar a musculatura. Esse procedimento ativa e estimula todo o sistema de circulação da cabeça e do couro cabeludo.

9 - Em caso de queda de cabelos mais acentuada procurar orientação profissional.

Fonte: RS Press.

#notícias #gestação #cabelos

+ NOTÍCIAS