Cuidado com o sódio presente nos alimentos industrializados!

 

O sódio é um mineral necessário ao organismo, porém, se for consumido em excesso pode acarretar uma série de problemas à saúde, como pressão alta, doenças cardíacas e AVC (Acidente Vascular Cerebral). A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que os adultos consumam menos de 2 gramas de sódio (o que equivale a 5 gramas de sal) e as crianças de 1 a 1,5 gramas de sódio (1 colherinha de sal) por dia, no máximo.

 

Encontrado em alimentos como ovos e laticínios, ele está presente em grande quantidade nos produtos industrializados como refrigerantes, salgadinhos, massas instantâneas, temperos e caldos em cubos, embutidos: salsinha, linguiça, mortadela, presunto, salame... Veja como fugir destas armadilhas da alimentação rápida, que pode custar caro para a saúde das crianças lá na frente.

 

Inimigos “aparentemente”  inocentes

As propagandas de salgadinhos (e outras porcarias, como diziam nossas mães) usam e abusam dos personagens infantis, de cores e sabores para atrair a atenção da garotada, mas são totalmente nocivos para os pequenos. “Estes alimentos processados/industrializados são ricos em sódio e conservantes que dão sabor. O consumo deles pode trazer consequências como entupimento das artérias, desgaste ao coração, risco de infartos, hipertensão e danos aos rins”, alerta a Dra. Isa Maria de Gouveia Jorge, nutricionista da USP. A especialista reforça que o ideal é evitá-los e dar preferência aos alimentos in natura, como frutas e legumes.

 

Peso e pressão arterial sob controle

No Brasil, os dados são preocupantes: 35% das crianças sofrem com a obesidade. Alimentação inadequada e sedentarismo são os grandes responsáveis pelo excesso de peso. Hoje em dia, as crianças passam horas na frente do computador ou celular, tendo pouco tempo para o lazer e as atividades físicas ao ar livre. É preciso repensar a rotina das crianças e tornar a alimentação saudável atraente, montando pratos coloridos e conversando bastante com a criança. Aposte também na prevenção e no acompanhamento da pressão arterial. “A partir dos 3 anos, a pressão deve ser medida pelo pediatra, é preciso fazer uma avaliação de idade/peso/massa corporal. Cerca de 13 a 16% das crianças no Brasil sofrem de hipertensão, por isso é importante ficar atento”, orienta a nutricionista.

 

Construindo bons hábitos alimentares para a vida toda

“O padrão alimentar de um indivíduo é determinado até os 5 anos. A criança levará este hábito para a vida adulta. Uma alimentação com excesso de sal provoca doenças crônicas como diabetes e obesidade, que pode levar a problemas cardiovasculares. Estresse e falta de atividade física agravam o quadro”, explica a Dra. Isa Maria.

 

Fique de olho no rótulo!

Os produtos industrializados são compostos por substâncias palatáveis que têm o poder de viciar. É importante ficar de olho no rótulo e fugir de produtos que tenham na composição gorduras saturadas, insaturadas, hidrogenadas, gordura trans. É preciso ter moderação com enlatados e seus conservantes. Produtos diet e light também devem ser evitados, pois têm alto teor de sódio. Ah! E prefira dar às crianças bolachas sem recheio!

 

 

O excesso de sal interfere na absorção do cálcio, assim como bebidas escuras: refrigerantes de cola, chá preto etc. Bolachas e biscoitos, além do sal, têm as perigosas gorduras trans. Em função destes maus hábitos, as crianças hoje se apresentam hipertensas, com colesterolemia (excesso de colesterol no sangue), diabéticas, obesas...”, alerta a nutricionista Helena Bernardo.

 

 

Alimentação amiga da saúde da criança:

  • Incentive seu filho a mastigar devagar os alimentos, sem pressa, saboreando.

  • Substitua os salgadinhos por petiscos mais saudáveis: espetinhos de frutas, de legumes. Tirinhas de batata-doce, cenoura, beterraba. Experimente colocar no forno para secar e tempere com azeite. Aposte também nas castanhas e frutas secas.

  • Prefira bolo feito em casa do que as misturas prontas.

  • Capriche na forma de apresentar os pratos: faça desenhos nos alimentos, carinhas com os legumes e as verduras.

  • Pão integral (rico em teor de fibras) + suco + frutas + leite batido com frutas são ótimas alternativas para o café da manhã e lanche da tarde.

 

Alimentos que parecem ser inofensivos, mas não são:

  • Barra de cereais – A maioria é rica em sódio e açúcar e, apesar do nome, não são tão ricas em fibras como pensamos.

  • Cereal matinal - Geralmente à base de milho, estes produtos são calóricos, ricos em açúcar e carboidratos e pobres em fibras. Prefira granola.

  • Frios e embutidos - não são aconselháveis por serem alimentos industrializados ultraprocessados.

  • Sucos de caixinha – estas bebidas possuem corantes e aromatizantes. São pobres em fibras e vitaminas que estão presentes nos sucos de frutas naturais.

  • Achocolatados - são feitos com o soro do leite e, portanto, não são fonte de cálcio. A falta de cálcio pode levar à formação de ossos fracos e favorecer a osteoporose na maturidade.

  • Nuggets - São ricos em calorias, sal, açúcar e gorduras o que fazem deste produto uma escolha nada saudável.

Texto: Joelma Marino

 

Nossas fontes:

Isa Maria de Gouveia Jorge, nutricionista e doutora em Nutrição em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo
Helena Bernardo, nutricionista

Please reload

Please reload

+ NOTÍCIAS

Criança que passa pouco tempo ao ar livre tem mais chance de desenvolver miopia

1/10
Please reload

Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed

Fale conosco

Whats: 15 99129-4846 | 11 3368-7702

Email: redacao@namochila.com

A revista das escolas particulares de Sorocaba e região
A revista das escolas particulares de Sorocaba e região

Certificado

SELO SOCIAL 2014 / 2015