Estudo revela que o afeto nos primeiros meses de vida é vital para a formação do adulto

 

Excesso de carinho e afeto gera menos depressão e ansiedade, segundo pesquisa da Universidade de Notre Dame

 

De acordo com estudo da professora de psicologia da Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, Darcia Narvaez, o excesso de carinho e afeto nos primeiros meses de vida é de extrema importância para a formação do adulto.

 

"Os seres humanos são criados com todo cuidado durante a infância porque combina com a maturação natural da criança. Essa evolução foi formada há 30 milhões de anos", informa Narvaez.

 

Para chegar a este resultado, Narvaez e sua equipe elaboraram uma série de perguntas sobre a infância dos adultos como "Quanto de carinho você recebeu?", "Brincava livremente dentro e fora de casa?", "Fazia atividades em família?", "Sentia-se apoiado?".

 

Adultos que responderam positivamente demonstraram ter menos depressão e ansiedade, maior capacidade de empatia e compaixão. Já os que não receberam tanto afeto quando criança exibiram piora na saúde mental, mais desconforto em situações sociais e menor capacidade de empatia.

 

"Sem esse afeto durante a infância, o adulto se torna mais reativo ao estresse. É difícil ser compassivo quando você está focado em si mesmo. Podemos notar adultos que não passaram por este processo em situações críticas do cotidiano", finaliza Narvaez.
 

 

Fonte: Assessoria de imprensa da Universidade de Notre Dame.

Please reload

Please reload

+ NOTÍCIAS

Criança que passa pouco tempo ao ar livre tem mais chance de desenvolver miopia

1/10
Please reload

Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed

Fale conosco

Whats: 15 99129-4846 | 11 3368-7702

Email: redacao@namochila.com

A revista das escolas particulares de Sorocaba e região
A revista das escolas particulares de Sorocaba e região

Certificado

SELO SOCIAL 2014 / 2015