Consumo de refrigerante é maior na idade escolar

 

Crianças e adolescentes também são as que mais consomem outras bebida

industrializadas, como achocolato e leite aromatizado

 

 

Uma pesquisa realizada pelo Estudo Geral dos Meios (EGM) revelou que o refrigerante é a bebida industrializada com maior adesão entre crianças e adolescentes, sendo ingerida por 97% daqueles na faixa de 10 a 12 anos. O consumo de outras bebidas industrializadas, como achocolatado, leite aromatizado e sucos, segue a mesma tendência, com maior incidência entre aqueles em idade escolar.

 

Os dados fazem parte de levantamento feito pela Ipsos, entre janeiro a dezembro de 2015, nas nove principais regiões metropolitanas do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza e Brasília), no qual foram entrevistadas mais de 36 mil pessoas acima de 10 anos.

 

O segundo item com maior nível de consumo são os sucos industrializados, com adesão de 93% entre aqueles na faixa etária de 10 a 12 anos, seguido por achocolatado, consumido por 86% dos entrevistados nessa faixa de idade. O produto com menor índice de consumo é o leite aromatizado, mas ainda assim presente na dieta de 43% das crianças e adolescentes entre 10 e 12 anos.

 

Para Diego Pagura, diretor de negócios da Ipsos, “os dados refletem o comportamento social e são diretamente proporcionais ao tamanho da oferta para consumo nas diferentes faixar etárias.” Por outro lado, afirma o executivo, os números “mostram as oportunidades de crescimento e ampliação do mercado num contexto que precisa de marcas próximas dos consumidores e com posicionamento responsável”.

 

A pesquisa também revela que o consumo dessas categorias diminui à medida que aumenta a faixa etária, sendo menor entre adultos e idosos. No caso de refrigerantes, contudo, apesar de queda, o consumo continua acima de 80% mesmo entre aqueles com mais de 30 anos e acima de 70% entre os com mais de 40 anos.

 

As bebidas industrializadas têm sido alvo de críticas pelo seu alto teor de açúcar e pouca carga nutricional. Na última quarta-feira (22), as empresas de bebida Ambev, Coca-Cola Brasil e Pepsico Brasil anunciaram um acordo conjunto que visa a mudança na política de vendas, restringindo, a partir de agosto deste ano, a comercialização dessas categorias para cantinas de escolas com crianças de até 12 anos ou com maioria até essa idade. De acordo com as empresas, o novo portfólio incluirá apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e “bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos”.

 

“O pronunciamento dessas grandes empresas reforça o compromisso das marcas com a missão de cuidado da saúde e educação da população, neste caso a brasileira, e mais importante ainda, de um público vulnerável como é o infantil, acompanhando movimentações do tipo que vemos em outras partes do globo. Acredito que há uma enorme oportunidade para a ampliação de oferta de produtos naturais, neste caso bebidas, para continuar estreitando o relacionamento entre marcas e pessoas”, aponta Pagura.

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de imprensa da Ipsos.

Please reload

Please reload

+ NOTÍCIAS

Criança que passa pouco tempo ao ar livre tem mais chance de desenvolver miopia

1/10
Please reload

Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed

Fale conosco

Whats: 15 99129-4846 | 11 3368-7702

Email: redacao@namochila.com

A revista das escolas particulares de Sorocaba e região
A revista das escolas particulares de Sorocaba e região

Certificado

SELO SOCIAL 2014 / 2015