Lancheiras devem ser montadas de acordo com idade das crianças

 

 

Alimentar-se bem não é tarefa fácil, principalmente quando se trata de crianças que têm à disposição dezenas de produtos, muitas vezes saborosos, mas com baixíssimo valor nutricional. Na escola, os cuidados com a alimentação devem ser redobrados, para se evitar excessos.

 

“A alimentação escolar deve estar de acordo com a faixa etária, que é caracterizada pela fase de desenvolvimento e nutrientes importantes para aquele período”, explica a nutricionista Mirella Pasqualin.

 

Segundo ela, as variações de alimentos dependem da preferência, do desenvolvimento dental e da quantidade adequada de alimento para cada criança. "A fase pré-escolar (dos 3 aos 6 anos) é a fase de transição, com a descoberta da possível independência e já com os dentes formados. A quantidade consumida deve ser o quanto a criança aceitar e é preciso oferecer diversos tipos de alimentos para ela experimentar".

 

Nesta fase, deve se ter atenção ao consumo de fontes de ferro e zinco (presente em produtos de origem animal e em alguns cereais integrais), cálcio (encontrado em leite e derivados) e vitamina A (presente em alimentos alaranjados, como a cenoura e a manga).

 

Entre os 7 e os 10 anos, as crianças passam por um período de intensa atividade física e crescimento. Com maior independência, é preciso estar ainda mais atento ao consumo alimentar. "O cálcio e a vitamina D são nutrientes de atenção nessa faixa etária e podem ser consumidos através de leites, queijos e iogurtes; no caso da vitamina D a exposição ao sol com cuidado e alimentos fortificados são recomendadas", comenta Mirella.

 

A partir dos 11 anos, as crianças apresentam alterações físicas, psicológicas e comportamentais. Com importante desenvolvimento físico e intelectual, a alimentação passa a ser decidida também por fatores emocionais. "Vitaminas do complexo B (presente em alimentos de origem animal como leite e ovos), vitamina A (presente em alimentos de cor alaranjada) e cálcio (encontrado em leite e derivados) são de extrema importância nessa faixa etária".

 

Ainda segundo Mirella, os lanches devem corresponder de 10 a 15% do valor energético total do dia de uma criança e precisam ser compostos, basicamente, por: líquido, para repor os líquidos perdidos durante o dia (água, sucos naturais, chás sem açúcar, água de coco); fruta, pois são importantes fontes de  vitaminas, minerais e fibras (uva, mexerica, maçã, pera, melão, abacaxi, banana, ameixa, pêssego); fonte de carboidrato, para fornecer energia (pães, biscoitos e bolos simples, cereais em flocos, milho e tapioca, de preferência integrais) e fonte de proteínas, quando possível optar pelos leites, queijos e iogurtes que contribuem com o consumo de cálcio.

 

Lancheira ideal de acordo com a idade das crianças

 

3 a 6 anos (fase pré-escolar): Fase de transição, com a descoberta da possível independência e já com os dentes formados. A quantidade consumida deve ser o quanto a criança aceitar e é preciso oferecer diversos tipos de alimentos para ela experimentar.

Nutrientes de atenção: Os nutrientes mais importantes nessa fase são ferro e zinco, presente produtos de origem animal e em alguns cereais integrais, cálcio, encontrado em leite e derivados, vitamina A presente em alimentos alaranjados como a cenoura e a manga.

Exemplo: aveia em flocos finos + suco natural de melancia sem açúcar + tangerina.

 

7 a 10 anos (fase escolar): Período de intensa atividade física e crescimento. Com a maior independência, é preciso estar atento ao consumo alimentar dessas crianças. Nutrientes de atenção: O cálcio e a vitamina D são nutrientes de atenção nessa faixa etária e podem ser consumidos através de leites, queijos e iogurtes.

Exemplo: torrada integral + queijo muçarela + achocolatado.

 

A partir dos 11 (adolescência): Época de alterações físicas, psicológicas e comportamentais. Com importante desenvolvimento físico e intelectual, a alimentação passa a ser decisivo também por fatores emocionais.

Nutrientes de atenção: As vitaminas do complexo B, presente em alimentos de origem animal como leite e ovos, a vitamina A presente em alimentos de cor alaranjada e o cálcio, encontrado em leite e derivados, são de extrema importância nessa faixa etária.

Exemplo: pão francês + requeijão + suco de acerola com laranja.

 

Fonte: Assessoria de imprensa da Mead Johnson.

Please reload

Please reload

+ NOTÍCIAS

Criança que passa pouco tempo ao ar livre tem mais chance de desenvolver miopia

1/10
Please reload

Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed

Fale conosco

Whats: 15 99129-4846 | 11 3368-7702

Email: redacao@namochila.com

A revista das escolas particulares de Sorocaba e região
A revista das escolas particulares de Sorocaba e região

Certificado

SELO SOCIAL 2014 / 2015