Conjuntivites: o que são e o que fazer?


Foto: Divulgação.

A conjuntivite é a doença ocular mais comum, ocorrendo com frequência na infância, principalmente no verão. A conjuntiva é uma membrana fina e transparente que recobre a esclera (a chamada parte branca dos olhos) e a parte interna das pálpebras. Toda vez que ocorre uma inflamação dessa membrana, temos uma conjuntivite. Saiba mais sobre os sintomas e como identificar a conjuntivite.

Quais os sintomas da conjuntivite?

As crianças irão apresentar sintomas em intensidade variáveis, sendo os mais comuns: olho vermelho, lacrimejamento, secreção, inchaço da pálpebra, coceira e sensação de areia nos olhos. Também poderá ocorrer dor e incomodo à luz.

Quanto tempo dura uma conjuntivite?

A maioria das conjuntivites dura em torno de 1 semana, não deixando sequelas. Porém, várias são as causas de conjuntivite e cada causa terá suas particularidades tanto nos sintomas quanto no tratamento. Sendo assim, a avaliação médica adequada é fundamental para diferenciá-las e estabelecer o tratamento adequado e os sinais de alerta para procurar o especialista.

O que causa a conjuntivite?

As conjuntivites podem ser causadas por virais, bacterianas, alérgicas e tóxicas ou químicas, entre outras causas mais raras.

Como se transmite a conjuntivite?

A transmissão ocorre por contato através de objetos de uso comum como toalhas, fronhas de travesseiros e pelo contato próximo com a pessoa doente através do beijo e/ou pelas secreções respiratórias. A transmissão é favorecida em lugares aglomerados como creches e escolas. O tempo de contágio é de aproximadamente 1 semana após o início dos sintomas.

Qual a conjuntivite mais comum?

As conjuntivites causadas por vírus são as mais comuns. Podem vir acompanhadas de sintomas respiratórios como coriza, tosse, espirros e dor de garganta. Normalmente apresentam secreção em menor quantidade, iniciando-se em um dos olhos e em até 50% dos casos tornando-se bilateral, com sintomas mais amenos no olho acometido posteriormente. O vírus mais comum é o adenovírus e em alguns casos pode ocorrer contaminação bacteriana secundária.

Qual o tratamento da conjuntivite?

O tratamento básico inclui higiene pessoal, principalmente com as mãos (não manipular os olhos, limpeza de secreções, evitar contato próximo com outras pessoas), lavagem ocular, uso de colírios lubrificantes e compressas geladas. Nos casos em que ocorrer uma conjuntivite bacteriana, alérgica ou em situações especiais, colírios com antibiótico, antialérgicos ou anti-inflamatórios podem ser necessários.

Como diferenciamos as conjuntivites?

Na maioria das vezes, os sintomas são muito parecidos, porém alguns sintomas podem ser mais intensos, ajudando a diferenciá-las. As conjuntivites virais apresentam menor quantidade de secreção e podem ser acompanhadas da presença de gânglios, principalmente perto das orelhas. As conjuntivites alérgicas costumam estar associadas a alergia respiratória (rinite alérgica) ou da pele (dermatite atópica) e tem como sintoma principal a coceira, por exemplo. De qualquer forma, o exame com o oftalmologista definirá a sua causa.

As conjuntivites podem levar a complicações?

As conjuntivites podem eventualmente apresentar complicações, porém a grande maioria apresenta melhora em poucos dias apenas com o tratamento básico. Em algumas situações especiais a visita ao oftalmologista torna-se essencial. A formação de membranas sobre os olhos, alterações da visão, como o embaçamento visual, evolução arrastada e dor intensa são exemplos de situações que devem ser prontamente avaliadas pelo oftalmologista.

A avaliação pediátrica é fundamental para o diagnóstico, orientações gerais e específicas de acordo com os sintomas e o exame físico e se necessário o encaminhamento ao especialista.

Fonte: NUK

#notícias #conjuntivite #saúde

+ NOTÍCIAS