Alienação parental traz ansiedade e prejudica no aprendizado da criança


É tema de obras ficcionais de filmes e novelas como o ódio entre os pais podem refletir na forma em que as crianças, adolescentes e jovens vão se relacionar com o pai ou a mãe. A Síndrome de Alienação Parental (SAP), também conhecida pela sigla em inglês PAS, é o termo proposto por Richard Gardner, em 1985, para a situação em que a mãe ou o pai sugestiona e manipula a criança para romper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao outro.

Os casos mais frequentes desta síndrome estão associados a situações em que um dos cônjuges tenta romper o elo de afetividade dos filhos com o outro cônjuge ou, ainda, avós, tios e outros parentes, que difama um dos pais, contando histórias, verdadeiras ou não, com a finalidade de manchar a imagem ou mesmo construir uma imagem negativa a partir de mágoas e raiva.

Muitas vezes, um dos maiores fatores que motivam a alienação parental é a forma com que os pais rompem a vida conjugal, gerando em um dos genitores sentimentos de raiva e vingança. Nesse processo, os filhos passam a ser o instrumento da vingança.

Sarah Lopes, psicóloga do Hapvida, explica sobre os principais prejuízos causados pela síndrome: "O prejuízo que a alienação parental causa é enorme e vai depender também do grau de alienação. O mais comum é a ansiedade nessas crianças, adolescentes ou jovens, o que dificulta no aprendizado e na socialização. Além disso, é importante para os filhos a convivência em harmonia com os pais. Em casos de separação, marido e mulher se afastam, mas devem lembrar que nunca deixam de ser os pais deles".

Quando é detectado o problema e as partes envolvidas demonstram interesse em resolvê-lo pelo bem-estar da criança, do adolescente ou do jovem, a busca por ajuda psicológica pode favorecer no controle do problema. "A psicologia pode funcionar como um mediador do conflito existente, trazendo à tona a necessidade desse convívio pacífico mostrando aos pais e familiares qual o melhor caminho para o desenvolvimento saudável de crianças e adolescentes", esclarece Sarah.

Segundo a psicóloga, é fundamental que a família como um todo se envolva positivamente e que não contribua para a alienação parental. Sarah ressalta que os parentes podem vir a intervir para ajudar a resolver o problema: "Da mesma forma que outros parentes podem atrapalhar, também podem ajudar. Atualmente, vimos casos de alienação parental sendo praticada até pelos avós das crianças. Porém, quando são pessoas sensatas, podem também servir de mediadores desse conflito. Quem está de fora possui uma visão imparcial do problema, podendo ajudar tanto os pais que estão em conflito quanto as crianças, trazendo uma nova visão daquele que está sendo vítima da alienação”.

Fonte: Hapvida.

#alienação #notícias #comprotamento

+ NOTÍCIAS
Posts Are Coming Soon
Stay tuned...
Siga
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Pinterest Icon
RSS Feed